Quarta-feira Santa 2017 - 2018 - 2019




Quarta-Feira Santa, dia do encontro entre Jesus e Maria

Brasil 2017 2018 2019
Quarta-feira Santa 12 de abril 28 de março 17 de abril



A Quarta-Feira Santa é o quarto dia da Semana Santa, período de preparação dos cristãos para a Páscoa. A Semana Santa se inicia no Domingo de Ramos com a chegada de Jesus à cidade de Jerusalém e prossegue com várias aparições públicas, milagres e parábolas, sua prisão na quinta-feira à noite, crucificação e morte na sexta-feira e ressurreição no Domingo de Páscoa.

Neste dia, acontece a Procissão do Encontro, simbolizando o encontro entre Jesus e sua mãe, a Virgem Maria, a caminho do Calvário. O encontro é uma das Sete Dores de Nossa Senhora, celebradas na Terça-Feira Santa. Segundo alguns evangelhos apócrifos (não autorizados pela Igreja), a Virgem teria desmaiado nesse momento.

Na Procissão do Encontro, dois cortejos partem de igrejas diferentes, um de homens carregando a imagem de Nosso Senhor dos Passos e outro de mulheres levando a de Nossa Senhora das Dores. Em um determinado local, as duas procissões se encontram, faz-se uma dramatização da cena e o sermão contendo as últimas palavras de Jesus.

A traição de Judas

Acredita-se que o acordo que Judas Iscariotes fez com os sacerdotes, que pretendiam prender Jesus e tirar-lhe a vida, foi fechado na Quarta-Feira Santa.

Revoltado por uma mulher ter ungido os pés de seu Mestre com um perfume caríssimo, Judas perguntou aos sacerdotes o que teria em troca se entregasse Jesus, e eles lhe prometeram 30 moedas de prata. O acordo se consumaria na quinta-feira, quando o traidor indicaria Jesus para os soldados romanos beijando seu rosto.

O Ofício das Trevas

Algumas igrejas ainda celebram o Ofício das Trevas (em latim, Tenebrae, que significa escuridão). Na cerimônia, sempre noturna, recitam-se salmos penitenciais e de lamentação à luz de um candelabro com quinze velas, que vão sendo apagadas a cada leitura até que a igreja fique em total escuridão.

O ritual simboliza o luto e a escuridão que tomaram a Terra após a morte de Cristo. As velas são uma metáfora. As velas sendo apagadas representam os discípulos que, um a um, abandonaram Cristo durante sua Paixão.

Ao final das leituras, que coincide com o apagar da última vela, os oradores fecham o livro com um estrépito, simbolizando o terremoto que ocorreu no momento em que Jesus entregou seu espírito aos céus.

Considerado um dos mais belos rituais da Igreja Católica, o Ofício das Trevas também pode ser celebrado na Quinta ou na Sexta-Feira Santa.