Independência do Brasil 2017 - 2018 - 2019




A verdadeira história da Independência do Brasil

Brasil 2017 2018 2019
Independência do Brasil 7 de setembro 7 de setembro 7 de setembro



No dia 7 de setembro comemoramos a Independência do Brasil, data em que nosso país deixou de ser território sob domínio do Reino de Portugal e tornou-se um Império independente.

Um dos fatores que mais contribuiu para a independência foi a vinda da Família Real portuguesa para o país, em 1808, fugindo dos ataques de Napoleão Bonaparte. Para abrigar a Corte, a colônia (então chamada de Estado do Brasil) foi elevada ao título de Reino do Brasil e passou a integrar o Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves.

Ao chegar, D. João VI abriu os portos brasileiros ao comércio com outros países do mundo, para cumprir um acordo feito com a Inglaterra. Essa pequena amostra de liberdade gerou um lucro altíssimo para as elites locais, nunca visto nos tempos de colônia.

No entanto, a família real logo foi obrigada a voltar para Lisboa para apaziguar uma revolução. Em 1821, antes de partir, D. João VI nomeou seu filho mais velho Príncipe Regente do Brasil (D. Pedro IV de Portugal).

Os atos do Príncipe Regente, que abaixou impostos e equiparou as autoridades militares brasileiras às portuguesas logo começaram a irritar a Corte, que enviou várias cartas exigindo que ele voltasse a Portugal e entregasse o governo do Brasil a uma junta administrativa. Com medo de perder os privilégios econômicos já conquistados, comerciantes e fazendeiros pertencentes à elite brasileira fizeram um abaixo-assinado pedindo a permanência do Príncipe – o resultado foi o famoso Dia do Fico, em 9 de janeiro de 1822.

D. Pedro começou a abrir espaço em seu governo para defensores da independência, como José Bonifácio, e decretou que nenhuma ordem vinda da Coroa seria aplicada sem sua autorização. Foi a gota d’água: o governo português enviou outra carta exigindo seu retorno imediato, sob pena de invasão militar. Irritado, D. Pedro declarou a independência às margens do rio Ipiranga em 7 de setembro de 1822. Em 12 de outubro, foi proclamado Imperador do Brasil, sob o título de D. Pedro I.

Apesar do episódio ter sido retratado em obras de arte em que D. Pedro e seus homens aparecem em trajes de gala e montados em corcéis, a história não foi bem assim. Eles estavam em meio a uma longa viagem, cansados, sujos e muito provavelmente montados em jegues, meio de transporte mais adequado para o solo paulista.

Além disso, o processo de separação de Portugal foi longo e complicado, e o 7 de Setembro só começou a ser considerado o “marco zero” anos depois. Nem o próprio D. Pedro dava importância a esta data, pois não mencionou o episódio em nenhuma de sua cartas posteriores. Por isso, alguns historiadores duvidam que ele tenha mesmo gritado “Independência ou morte”.

Romantizada ou não, a independência custou caro: o Império do Brasil teve que pagar ao Reino de Portugal uma multa de 2 milhões de libras pela sua liberdade.